close

Origami e papiroflexia: a técnica de papel que encanta o luxo

Nasceu na China, mas foram os samurais do Japão, por volta do século VI, que o começaram a introduzir em círculos de elite e nas tradicionais cerimónias nipónicas. Como prova de respeito, trocavam prendas decoradas com envelopes feitos com pequenas dobras e enfeitavam os copos de saqué com borboletas macho e fêmea feitas de papel.

Era o começo do apogeu do origami, ou papiroflexia, uma técnica que consiste em criar qualquer tipo de formas a partir de dobragens de papel. Inicialmente praticada em círculos reduzidos, acabaria por se tornar um passatempo infantil e mais tarde conquistaria todo o tipo de mercados, incluindo os do luxo e da arte, com a criação de embalagens originais ou até esculturas de grandes dimensões.

Papiroflexia vem do latim papyrus, papel, e flexus, dobrar. Origami é o resultado da junção de ori, dobrar, com kami, papel. Embora a priori se considerem a mesma técnica, há algumas diferenças entre elas, como o facto de, no Origami, não se poder fazer cortes no papel ou colagens de peças.

Existem até cinco estilos de Origami: no modular constrói-se uma grande figura encaixando peças iguais; no de ação as figuras podem mover-se; no de modelação de papel húmido, ou wet folding, são criadas figuras com curvas muito suaves em vez de dobras; no de tesselações e no pureland  só é possível utilizar um número limitado de dobras.

As opções são inúmeras. Por isso, o mercado Premium tem os olhos postos nele para se diferenciar na apresentação dos seus produtos. Decorações para acompanhar uma experiência especial ou embalagens de extrema criatividade têm vindo a ganhar terreno neste requintado mercado, aproveitando a procura crescente e a conotação artesanal desta técnica milenar.

Nestes projetos, o papel é como a argila que dá forma a uma escultura. A gramagem e a textura proporcionarão um ou outro resultado, permitindo criar modelos espetaculares. Desde que Akira Yoshizawa o popularizou nos anos 50, há centenas de artistas a quebrar os limites da arte em papel.

 

Créditos

Projetos de:
Convite de origami (imagem de cabeçalho) Louis Vuitton do estúdio italiano Happycentro. Pode ver aqui um espetacular vídeo sobre o processo de impressão.
Anaquiños de papel
‘Spring by Empaperart’. Montra para a marca Lladró do estúdio Empaperart 
Cartoncita para El Portal de Alicante
Let’s fly! CasaDecor (2016) 
Aniversário do Grand Seiko. Seiko (2016)

prev next